Vietnã em 5 passos – ou mais…

Passei dois meses no Vietnã e adorei o país, as pessoas, a comida… me senti em casa, o país tem muitas semelhanças com o Brasil. Então, vou dar uma força para quem quer conhecer essa terra tão receptiva.

Chegando ao Vietnã

A primeira coisa é tomar vacina de febre amarela e tirar a carteira internacional de vacinação na Anvisa, no meu caso ela foi pedida ainda no Brasil, antes de embarcar.

Brasileiros precisam de visto para entrar no Vietnã, o mais simples é pedir o seu ainda no Brasil (o visto pode ser por 1 ou 3 meses). É super simples e já expliquei o processo de pedir e pegar o visto no aeroporto de Hanói aqui. 

Onde ficar

Eu fui para Hanói fazer um trabalho voluntário, em troca de acomodação e comida. Dei aulas de inglês para vietnamitas em algumas escolas da cidade. Usei o Workaway, mas existem outros sites semelhantes, como o Helpx. Você faz um perfil e procura algo que se encaixe nas suas habilidade. Os dois cobram uma anuidade, mas há oportunidades no mundo inteiro, inclusive no Brasil.

Na maior parte das vezes que precisei pagar hospedagem, eu fiquei em quartos individuais, pagando entre 5$ e 11$. Foram quartos simples, mas não precisava de mais do que isso. Outros quartos foram bem bons, como em Hoi An e Da Lat. Olha o meu quarto em Da Lat.

Minha dica para achar quartos baratos é usar Booking ou outro site de acomodação no dia anterior à hospedagem ou no dia, porque aí você encontra promoções de última hora. Se está com medo de deixar pra última hora, pode reservar um quarto com cancelamento gratuito e checar de há algo melhor um dia antes.

Outra coisa que faço é reservar só uns dois dias, aí chegando no local eu tento negociar o preço. Algumas vezes funciona outra vezes sai melhor pelo Booking mesmo. Também fiquei em albergues. Geralmente, os preços variam de 3$ a 7$. Albergues, são ok, você tem menos privacidade mas, por outro, lado tem mais facilidade para conhecer pessoas, fazer coisas juntos etc. Alguns albergues têm quartos privativos, então pode ser uma alternativa para quem quer privacidade mas quer ficar no meio da galera.

Dinheiro 

dongsNo Vietnã, a moeda é o dong. Quando estava lá, 20.000 dong valiam cerca de 1 dólar. Traga dólares para trocar por dongs no Vietnã pela moeda local. O melhor lugar para trocar geralmente são as lojas de jóias (gold shops), você encontra várias por todo o país, já que eles usam ouro para guardar dinheiro. Bancos e agências de turismo também trocam, confira o câmbio e veja se vale a pena.

Eu uso um aplicativo chamado currency, ele converte de forma fácil as moedas, e o câmbio é atualizado todos os dias.

Outra opção é sacar aqui nos caixas eletrônicos, eles não cobram taxas, mas eu não saquei de conta do Brasil, pra saber se no Brasil eles cobram taxa, aí tem que ver com seu banco. Vários lugares não aceitam cartão de crédito, então dinheiro é sempre a melhor opção.

Indo e vindo 

Eu raramente uso taxis. Em Hanói eles usam bastante Uber e Grab, ambos têm mototaxi em Hanoi. Em outros lugares, só carros. E você pode pagar em dinheiro. Também usava bastante ônibus, mas em Hanói eles só rodam até 9 da noite.

Para me localizar uso sempre o GoogleMaps, faço o download da cidade pra onde eu vou e posso usar o mapa mesmo offline. Outro aplicativo interessante é o Maps.Me, que também pode ser usado offline.

Para ir de uma cidade a outra, usei ônibus e trens. Os trens são mais caros, mas as cabines com camas são excelentes e dá pra dormir tranquilamente. Ele têm banheiro, comida, água de graça, é bem confortável, mas não têm wifi. Tem que comprar com antecedência porque eles lotam rápido. O melhor é comprar na estação, mas às vezes falta tempo ou é muito contramão. Esse é o site oficial dos trens no Vietnã, há outros que parecem oficiais mas, na verdade, são agências. Eles não aceitam cartões de fora do Vietnã, por isso usei o Baolau, mas eles cobram uma taxa. Mas você pode usar o site para saber se está lotado e ver o preços também.

Os chamados sleeping buses são mais baratos e são até confortáveis. Fiz viagens de cerca de 15 horas em sleeping bus e foi super de boa. Usei o Futa Bus e de outra vez meu hotel reservou pra mim. Eles fornecem água, lencinho umedecido, e cobertor. Têm wifi. Veja no seu hotel se eles reservam e compare preços online. Muitos hotéis não cobram comissão e têm um esquema para pegar passageiros no hotel. Um site bom para ver passagens internas é o Seat 61.

No próximo capítulo: segurança, comida, bebidas, o que levar, o que comprar e mais…
Quer ler mais? Eu escrevi um artigo para o blog Brasileiras pelo Mundo.
*Featured picture: Ibsen Moy
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s