Mochileira de primeira viagem, ou não

Esse post é mais direcionado às minas que estão querendo começar a viajar sozinhas. Vejo muitas mulheres com medo e sem saber por onde começar, então, prepara a mochila e vamos lá.

Medo

Medo existe, claro, principalmente se é a primeira viagem sozinha, seja para o exterior ou não. Mas não tem que ter medo, se informe sobre o lugar que vai visitar, entre em grupos de discussão sobre aquele local e esteja aberta ao inesperado, a trocas de planos, a novas amizades, a aventuras e desventuras.

Quando estamos sozinhas, a gente meio que se força a conhecer outras pessoas e acaba vivendo experiências incríveis. Vários lugares que conheci viajando, eu fui porque conheci alguém que me indicou o lugar e fui lá descobri, como o mosteiro em que estive no Vietnam mês passado. Dalat não estava nos meus planos, nunca nem tinha ouvido falar da cidade. Mas conheci um russo que me falou do lugar e então, decidi ir pra lá. E foi incrível.

Claro que gosto de viajar em grupo e dividir histórias com os amigos, mas tenho que confessar que gosto mesmo é de viajar sozinha! Conheço tanta gente, me permito mudança bruscas de roteiros, vou a aventuras que meus amigos não iriam e me transformo a cada dia. Acho maravilhoso e se você tem vontade, enfrente o medo, você nem vai se lembrar dele depois! Antes de vir para o Vietnam, me bateu um medo, uma insegurança que nunca havia sentido antes. Era a minha primeira vez na Ásia, em um país que nunca havia pensado em visitar antes, e para morar por um tempo. Tinha várias dúvidas e estava me sentindo meio sozinha. Mas fui mesmo assim. E quer saber? Assim que cheguei o medo sumiu! Conheci pessoas incríveis, passei perrengues e me diverti horrores. Então, cai na estrada!

Pesquise, leia e use as redes sociais

Mas use as redes sociais não só pra perguntar. Leia bastante e tenha um pouco de informações antes de fazer perguntas mais aleatórias. Isso economiza seu tempo (porque aí você consegue informações que vão ser mais úteis para você) e é mais simpático com os outros que já estão nos grupos a mais tempo e sempre vêem as mesmas perguntas se repetindo.

Informação é a sua maior aliada numa viagem, principalmente sozinha. Se você tem informação, sabe do que está falando e a pessoa vai te respeitar mais e não vai te tratar com um turista perdido. Por exemplo, saiba os preços que se cobram por um quarto na região onde você vai, assim você pode barganhar. Saiba o preço da cotação do dólar pra trocar por dongs no Vientam (ou em qualquer lugar), assim você sabe se a pessoa está tentando te passar a perna ou não.

Eu gosto de entrar nos grupos do Facebook de Expats (estrangeiros) naquele lugar. Por exemplo, Exptats in Hanoi, Expats in Cambodia, etc. Lá dou uma olhada no que rola na cidade, onde comprar coisas mais baratas etc. Use a lupa para procurar assuntos que te interessam, para evitar perguntas desnecessárias ou que sejam muito óbvias.

Acho que a melhor dica que posso dar é pesquisar, ler, ler blogs, entrar em grupos de mochileiros, das cidades que vai visitar, ler um pouco sobre os países, se informar. Sim, dá trabalho. Mas com o tempo você descobre as fontes que gosta e confia, e aprende a achar coisas boas. E é errando que se aprende. E sempre acho algum blog ou site com o qual me identifico mais. Por exemplo, na Asia, gosto muito do Travelfish. Na Europa, gosto to Use-it.

Faça como os locais

Tente se integrar com os locais. Aprender nem que seja falar “oi” e “obrigada” na língua local já atrai mais simpatia. Tente ver onde eles se divertem, onde comem. Comida e bares locais são sempre mais baratos do que os locais turísticos.

Outra coisa também, é que me sinto mais segura me enturmando com os locais. Se você conseguir estabelecer alguma afinidade eles podem te ajudar se você tiver algum problema ou meio que te proteger.

Segurança

Quanto à segurança, isso vai depender do local. Mas observe, escute o que os outros viajantes dizem a respeito do cidade. Tente não chamar muito a atenção. Eu sempre me visto mais simples e de acordo com o local em que estou. Eu saio sozinha e fico atenta ao ambiente, no Vietnam nunca tive problemas. Confie no seu instinto e, se sentir que o negócio é suspeito não vá. Tente se enturmar e sair em grupo se estiver insegura, para isso os albergues são melhores.

Tive um problema no Cambódia, em Otres, que me fez pensar mais na segurança. Também, ouvi relatos de estupros e assédio em Otres e em outros lugares do Cambódia. O que aconteceu comigo foi o seguinte: Estava trabalhando em uma pousada, onde tinha um quarto privativo. Estava dormindo sem roupa, por causa do calor, e, no meio da noite, percebi uma lanterna na minha cara. O cara estava no quarto do lado me olhando por cima da parede (que não ia até o teto). Ele continuou com a lanterna na minha porta, bateu na porta. Perguntei quem era e ele disse o nome dele, como eu o conhecia, vesti roupa e abri a porta. Achei que era alguma emergencia na pousada. Ele perguntou se eu queria trepar!! Me senti totalmente insegura, não sabia se ele iria arrombar a porta, não tinha pra quem ligar e nem uma proteção perto de mim.  Então, depois dessa, recomendo:

  • Fazer conexões com pessoas no lugar onde você vai ficar mais tempo, pegar o telefone de alguém para poder ligar caso necessário.
  • Ter algo para se defender, eu fiz meu spray de pimenta. Só lembre-se de não deixar na mala de mão. Acho que pau de selfie ou um bastão pode ajudar também.
  •  Não dormir sem roupa. Nunca se sabe quando vai ter que correr ou se vai aparecer alguém para te observar.

Sozinha sim, solitária é opção

Viajar sozinha não é sinônimo de ficar solitária na viagem toda. Esteja atenta às pessoas, converse, pergunte, se interesse pelos outros. Sempre vai aparecer alguém ou uma turma legal pra um chopp, um passeio. O melhor lugar pra socializar são os albergues. Há também encontros de expats (procura nos grupos do Facebook), encontro de Couchsurfers, etc.

Fora isso, sempre tem mais gente viajando sozinha. Acredite, nāo vão faltar oportunidades para conhecer novas pessoas se você estiver aberta a isso. Acho que é uma questão de postura. Eu já conheci gente no café, em restaurante, em mercado…

Saúde

A parte de cosméticos, remédios e vitaminas é a mais pesada da minha mochila. Eu uso um remédio todo o dia, então trouxe o suficiente para vários meses. Vitaminas para manter a imunidade alta, vitamina C é ótimo para isso. Algum remédio para cólicas, dores, febre, estômago é bom também.

Ah, para as meninas, eu aconselho de coração usar coletor menstrual. Eu passo horas viajando de ônibus, trem, avião e nem imagino como seria se ainda usasse absorventes. O coletor me permite não ter preocupações por 12 horas ou mais, sem medo de vazamentos ou ter que trocar regularmente. Vai por mim, aposta no coletor que as suas viagens serão menos tensas nesses dias.  

Trocando hospedagem por trabalho 

Se você tem tempo, pode trocar trabalho por hospedagem e comida, fazendo trabalho voluntário. Eu estou fazendo isso no momento, usando o Workaway. Outro site popular é o HelpX. Você procura por país ou região e vê se há compatibilidade entre o que você pode oferecer e o tempo que pode ficar e o seu host. É uma boa oportunidade de conhecer melhor uma região.

Aplicativos

Na enquete que fiz no grupo Eu Viajo Sozinha no Facebook, a maior parte das garotas quer saber sobre aplicativos etc. Mas já adianto, não tem nenhuma fórmula mágica ou um aplicativo que faça tudo pra você. Mas eu uso algumas ferramentas que me facilitam a vida.

  • Currency

Um app que sempre uso aqui na Ásia é o Currency, que converte de uma moeda pra outra fácil e de forma atualizada. É muito útil e me ajuda bastante na hora de trocar dinheiro, para saber se estou conseguindo uma taxa boa ou não.

  • Booking

Uso o Booking para ter uma ideia dos preços nos locais, geralmente reservo só as duas primeiras noites por lá e depois vejo se consigo coisa melhor no local. Uma dica que me economiza muito é reservar no dia anterior ou no mesmo dia, aí você consegue uns preços bem bons em lugares mais legais. Você pode reservar algum com cancelamento gratuito e dar uma olhada no dia anterior se tem coisa melhor com desconto. Outra dica, se você pesquisar pelo computador há a opção de pesquisar só quartos privativos.

A vantagem de albergues é que você vai conhecer pessoas mais facilmente, já que eles geralmente têm uma área para socialização, alguns organizam festas ou passeios. No geral, é bem seguro, muitos têm armários com chave onde você pode deixar as coisas de valor. Leia as avaliações no Booking e TripAdvisor.

  • GoogleMaps e MapsMe

Sempre antes de chegar a uma cidade nova eu faço o download do mapa do local no GoogleMaps, assim você pode navegar sem problemas mesmo off-line.

Outro aplicativo legal é o MapsMe, já que no Cambodia, por exemplo, o download não é possível por questões contratuais ou qualquer coisa assim.

  • Google Translator

Não, não trabalho para o Google. Também, antes de chegar a um local de língua nova, faço o download da língua no Google Translator, nem sempre funciona bem, ele comete muitos erros no Vietnam, por exemplo, e o povo nem sabe do que estou falando. Mas às vezes salva.

  • Skype

Você sabia que é possível colocar créditos no Skype e ligar para telefones? Eu uso quando preciso ligar para algum telefone fixo ou para alguém que não tem skype. É uma mão na roda e é super barato. Coloquei uns 100 reais lá já tem mais de ano e ainda tem mais de 50.

Celular

Sempre compro um chip no país onde estou para telefone e dados ou só dados. Vai depender do que você vai precisar. Geralmente dados é mais útil,  e não sai caro.

Comprar passagens

Sempre que vou comprar alguma passagem internacional passo um tempo de olho em uns sites de passagens baratas, como o Melhores Destinos, Secret Flying, TravelFree e The FlightDeal. Eu os coloquei no RSS no meu Ipad e checo durante o dia para saber se tem algo que me interessa.

Também pesquiso usando o Kiwi, um app que te deixa pesquisar passagens de uma determinada área para outra, então, de repente sai mais barato sair ou chegar em uma cidade ou país vizinho. Uso muito o Google Flights, Skyscanner, Kaiak também. Na Europa tem o GoEuro, que pesquisa passagens aéreas, trem e ônibus.

Mas sempre tento comprar no site da companhia aérea, porque se você compra de agência, para trocar alguma coisa você tem que pagar muito, no final eu acho que não vale a pena.

Dentro dos países, sempre que posso, uso ônibus (mais barato), Blablacar (site de carona) ou trem. Mas pesquiso para ver o mais barato. Evito pegar vôos porque acho mais chato.

Mochila / mala

Eu dou uma olhada nos Intagram nas fotos dos lugares para onde vou pra ver o que as pessoas estão vestindo, as pessoas ao redor, pra ter uma ideia de como é. Se a ideia é gastar pouco, com certeza você vai andar muito! Então sugiro um tênis leve e outro calçado confortável. Na maioria das vezes dois calçados é mais do que suficiente, e uma havaiana. Se for lugar de praia ou Asia, sugiro um tênis só. Mas depois faço um post só pra Asia.

Roupas. Pense em conforto e versatilidade. Roupas que você pode usar de varias formas ou umas com as outras. Evite jeans, porque ocupa muito espaço e não ajuda no frio, e no calor esquenta muito. E pense que você sempre pode comprar algo baratinho se precisar. Na boa, quando o povo está viajando, mochilando, ninguém repara se você está repetindo roupa, todo mundo usa a mesma roupa até tá caindo de sujo. Se vai andar muito de tênis, traga meias para uma semana ou 10 dias. Sempre tem lavanderias pelo caminho a um preço bom. E pense que você pode querer comprar algo mais adequado no local onde está. Se é pra local frio, deixe pra comprar lá, no Brasil é muito caro e nem tem coisa muito adequada. Se é pra lugar quente, você não usar quase nada e sempre pode comprar um vestidinho baratinho.

Quando mudei pra Holanda, várias coisas que levei não usei. No Vietnam, mesmo levando pouca coisa, deixei um casaco, dois vestidos e um tênis em um lugar. E já comprei 3 calças dessas hippies, um short e um vestido.

Ah, sempre carrego uma mochila grande, uma pequena com as coisas de uso mais imediato e computador etc. E gosto de ter uma bolsinha para passaporte e dinheiro.

Dinheiro

Pesquise a moeda utilizada no local, claro, e, se não for dólar ou euro, veja a melhor moeda pra trocar no local. Acho que é sempre bom ter dinheiro e cartão de crédito.

  • Dinheiro em espécie: A vantagem de levar dinheiro é que sai mais barato e nem sempre você sabe qual o câmbio que será usado na hora da conversão. Existe uma discussão sobre as operadoras usarem o câmbio da data da compra, mas não sei em que pé está. Confira com o seu banco. O governo taxa IOF na compra de moeda em espécie, mas pelo que li está em 1,1%, já no cartão o IOF é de quase 7%. Eu compro moeda de agências ou direto de pessoa física. De qualquer forma, você vai precisar de dinheiro em espécie, já que muitos locais não aceitam cartão de crédito. A desvantagem é que você pode perder ou ser roubado. Nunca aconteceu comigo, mas existe a possiblidade. Se estiver muito inseguro quanto a levar uma quantia grande, veja outras opções de sacar moeda local no seu destino.
  • Cartão de crédito: Cartão de crédito internacional é uma necessidade. Eu uso quando quero comprar algo pela internet, do tipo passagens aéreas ou de trem. Também é uma segurança, caso você precise fazer alguma despesa mais alta. Mas use com cuidado, pois as taxas do cartão não são muito amigáveis. Veja no seu banco o que deve fazer para usar o cartão de crédito no exterior e como proceder para fazer compras online no exterior também. No Banco do Brasil, por exemplo, agora você precisa do aplicativo do banco no celular e precisa desbloquear o uso do QR code ainda no Brasil, porque precisa ir até um caixa eletrônico para isso. Mas sempre cheque com seu banco antes, para saber os procedimentos, porque essas coisas mudam.
  • Saque de dinheiro no Exterior: Eu acho que essa é a melhor opção e muitas vezes necessária, principalmente se a viagem é longa, mas também é o mais caro. Mais uma vez cheque com seu banco como proceder antes de sair do país. Aqui tem um passo a passo bem legal sobre como fazer o saque no exterior. É mais caro que levar em espécie, cobram o IOF e ainda uma taxa de saque (varia de banco pra banco) mas é seguro e você pode usar quando precisar. Em alguns países os bancos locais também cobram uma taxa, por exemplo, no Cambodia, os caixas cobram 5$ por cada saque. No Vietnam não cobram. Então, já viram que essa brincadeira de sacar fora pode sair caro.
  • Travel Money: Eu nunca usei, mas também há cobrança de quase 7% de IOF, então vai sair mais ou menos a mesma coisa do cartão de crédito, só que você paga antes de usar. É bom pra quem quer ter mais segurança ou um recurso a mais.
  • PayPal: Uma outra opção é o PayPal, que já usei em alguns casos, você pode transferir dinheiro pra ele e usar para comprar na internet.
  • Western Union: Esse é pra emergência. Perdeu todo o seu dinheiro? Cartão de crédito quebrou? Você pode pedir para alguém te enviar dinheiro pela Western Union. O Banco do Brasil e o Bradesco atuam como agências, fora isso você pode transferir de outros lugares também. A vantagem é que você só precisa de um documento de identificação para receber o dinheiro. As taxas variam de acordo com o valor a ser transferido o país que vai receber. Mas cuidado para não enviar para desconhecidos, pois depois que você envia e a pessoa pega, já era. E como é muito fácil e não precisa de conta no banco para receber muitas fraudes são feitas por esse método de pagamento.
  • Aqui tem um guia do Melhores Destinos mais detalhado dos vários meios de usar dinheiro no exterior. É um pouco antigo e a taxa do IOF para compra de moeda em espécie subiu para 1,1%, por exemplo, por isso cheque as taxas para ver se houve mais mudanças.

Na hora de gastar no exterior é bom pensar em opções para não passar apuros, por exemplo, se não conseguir usar um cartão, se perder dinheiro, etc.

Esse post foi mais geralzão mesmo. Pretendo fazer um mostrando minha mochila e continuar meu post sobre o Vietnam. Se alguém quiser saber mais alguma coisa, por favor, comente que tento responder ; )

Advertisements

2 thoughts on “Mochileira de primeira viagem, ou não

  1. O post está excelente! Só que acho melhor usar cartão de crédito do que dinheiro. Além da segurança, a gente perde muito valor em câmbio. Pelo menos, onde o $ local é mais caro. Foi o que aconteceu comigo no Canadá. Em países com dinheiro mais desvalorizado, talvez compense cash mesmo. Aproveite muito aí! Beijo.

    Like

    1. Obrigada Gisela. Não sei como você achou que o cartão de crédito é mais barato, porque há a cobrança de quase 7% de IOF e o cambio usado pelos cartões é sempre desfavorável para o consumidor. É mais seguro sim, mas mais caro. Eu sempre compro direto de pessoas que vendem ou de agências, e sai mais barato do que no banco, consigo taxas de câmbio melhores e não há taxa. Pra mim, o melhor seria sacar dinheiro no país, mas os bancos brasileiros cobram taxas caras pra isso também. Fora isso, na Holanda, por exemplo, muitos lugares, como supermercados e lanchonetes, não aceitam cartão de crédito e você tem que usar dinheiro mesmo. Obrigada pelo comentário, vou editar o post e explicar melhor as opções de carregar dinheiro e pagar contas no exterior. ; )
      http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2016/05/apos-alta-iof-sobre-dolar-em-especie-ainda-e-mais-barato-que-no-cartao.html

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s