Ei você que tem pavor de feminista, chega mais!

Eu não vivo numa bolha (infelizmente, alguma vezes, devo confessar) e muitas vezes vejo pessoas que eu conheço, e até gosto, destilando ódio contra o feminismo. Então, resolvi escrever uma resposta a algumas coisas que leio por aí.

Afinal, o que é o feminismo?

Bom, sendo bem direta ao ponto, o feminismo é a busca de igualdade entre homens e mulheres. Lembrem-se dessa palavra, IGUALDADE. Igualdade de condições no trabalho, igualdade nas tarefas de casa, igualdade na hora ser ouvido, igualdade…

Do dicionário Cambridge: “A crença de que mulheres têm os mesmos direitos, poderes e oportunidades que os homens e que devem ser tratadas da mesma maneira.”

Do Dicionário Oxford: “A defesa dos direitos das mulheres com base na igualdade dos sexos.”

É, mas se quer ser igual, então pra que licença maternidade e outros benefícios para mulheres?

Então, essa igualdade leva em conta as diferenças entre os sexos para buscar a equivalência de direitos. Só as mulheres ficam grávidas, certo? Então há uma diferença fisiológica e, por isso, é preciso fazer uma equivalência de direitos para que ambos, homens e mulheres, possam ter as mesmas chances no mercado de trabalho, isso se faz com estabilidade no emprego para grávidas, por exemplo, já que se ela for demitida nesse periodo, pode ser dificil conseguir outro emprego já que não é possivel esconder a barriga né e os patrões não vão querer contratar alguém que vai ter que sair de licença. Ah, a licença é em beneficio da criança, tanto que pais adotivos (homens) já conseguiram o benefício. E esses direitos são frutos de luta, militância política e colocar a boca no trombone.

Tá, mas mulher já pode votar, tem licença maternidade, trabalha… pra que feminismo hoje?

Sim, no Brasil, a mulher pode dirigir, trabalhar votar e ser eleita. OK! Mas, ainda não há igualdade em vários pontos.

Violência. Pra mim esse ainda é o principal ponto e que tem raízes no nosso inconsciente. Em grande parte das casas, homens e também mulheres, foram ensinados que mulheres estão a serviço do homem, quase que como uma propriedade (a irmã é que lava louça e ajuda a mãe em casa, isso não é serviço de menino, etc). Daí, quando adultas, se elas não se submetem aos homens ou ao que se espera delas, vem a violência. O Brasil é o quinto país em número de assassinatos de mulheres. E não é só isso. Mulheres ainda sofrem com altos índices de assédio e violência sexual. 89% das vítimas de de violência sexual são do sexo feminino. E 70% dos estupros são cometidos por conhecidos, parentes, namorados ou amigos. Ou seja, para as mulheres, a violência está dentro de casa. Tem alguma coisa errada aí, não?

No trabalho. Apesar de serem maioria no país, as mulheres ganham menos que os homens. Uma pesquisa desse ano, 2017, da Catho, mostrou que as empresas pagam menos às mulheres em TODOS os cargos. Sendo que quanto mais alto o cargo, maior a diferença, chegando a 60%! Não parece muito justo né? O que você acharia de ganhar 60% a menos que o colega que faz o mesmo trabalho? Ficaria calado? Além disso, já viu nosso judiciário? Nosso executivo? Quantas mulheres você vê nos cargos mais altos de chefia? A representatividade das mulheres nos cargos de decisão do nosso país ainda é tímida.

Representatividade. Tudo isso é um reflexo de como a mulher é vista na sociedade, como serviçal ou de menos valor intelectual. Por isso, a representação das mulheres na publicidade é tão discutida. Para que não se use a imagem das mulheres como um produto ou um pedaço de carne e sim com um ser humano. Tente imaginar homens nas situações onde colocam as mulheres da publicidade, por exemplo…

Esses são alguns pontos, mas não todos. Como falei antes, igualdade de tratamento em todas suas vertentes. Tudo sempre volta para um luta para a igualdade entre homens e mulheres na nossa sociedade. Se você observar um pouco, vai perceber que o Brasil ainda é muito machista.

Mas não pode então só falar de igualdade e deixar essa história de feminismo pra lá?

Aí é renegar a história e assumir que mulheres e homens estão em pé de igualdade, o que não é bem o caso. Quando chegarmos a isso, aí podemos somente ler sobre feminismo nos livros de história e dar boas risadas sobre o quanto era ridículo e impensável ter que brigar para ter os mesmos direitos dos homens.

Igualdade, sei… Tem muita feminazi que destila ódio por aí também.

Pode até ter, e deve ter mesmo. Em todo grupo grande de pessoas você vai encontrar uma parcela mais radical ou até pessoas equivocadas. Tem pedófilo na igreja amigo! Onde as pessoas deveriam passar o tempo rezando e fazendo o bem. Tem monge budista envolvido em prostituição… E por aí vai. Então, pense se não vai haver pessoas equivocadas em movimentos sociais, partidos, etc. Além disso, as chances de você ver essas coisas aumenta com as mídias sócias onde tudo que é mais extremo ganha proporções gigantes. O feminismo não tem que ser sobre ódio e guerra, é sobre igualdade e não vou me cansar de dizer isso.

Mas agora homem não pode fazer nada que vem as feminazi e reclamam.. Vocês querem transformar o homem e mulher?

Nãooooo, de jeito nenhum. E eu falo por mim e mais um monte de amiga. O feminismo não ataca a masculinidade do homem. Mas para você ser masculino, não precisa ser boçal. Você pode ser um Homem, com H maiúsculo e ainda respeitar as mulheres. SIM! E vou te contar um segredo, é super sexy!

É simples, é só pensar e tratar as mulheres como um ser humano, como você! E não como um objeto sexual (sim, gostamos de sexo, muitas vezes até mais do que os homens, mas não queremos ser tratadas como objeto, entende?!). Não enxergar na companheira uma serviçal. Pode abrir a porta do carro, se ela estiver confortável com isso. Não te impede de ser cavalheiro. Existe uma louça para lavar em casa? Quem sujou? Se você também sujou então por que só ela deve lavar? Simples, igualdade, lembre-se, parceiros e não um a serviço do outro.

Mas de tudo vocês reclamam. Não pode fazer mais nada?

De novo, é só respeitar as mulheres! Não precisa gritar gostosa quando aquela gatinha passar. Não! É feio, e ela não vai achar legal.

Não precisa provar que é pegador, para mostrar que é homem. Tá vendo, o feminismo também pode tirar um pouca daquela carga que depositam no homem, de ter que ser o macho alfa, o garanhão o tempo todo.

Respeita a mina na balada. Se ela disser não, significa não. Aceite e parte pra outra.

E, em casa, não tem trabalho de mulher e trabalho de homem. É trabalho que precisa ser feito.

Cuidar dos filhos é dever dos dois e não é coisa de mulher. Mulher não nasce com chip que a ensina a trocar fralda. Você também pode aprender essa artimanha, vai por mim.

Então, coisas básicas, bom senso, nem é pedir demais, é? Fala sério. E feminismo não é palavrão.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s